25 de abr de 2012

CHAMPIONS LEAGUE: ESPANHA FORA?

É! Espanha fora! Nem Real Madrid, nem Barcelona! Nem Kadá e Marcelo! Nem Cristiano Ronaldo! Nem Daniel Alves e Thiago Alcântara (este naturalizado espanhol). Nem Messi!
O que terá acontecido? Muita gente surpresa? Claro que sim. Ninguém se acostuma com as peças que o futebol prega na gente. Todo mundo imaginava que o Barcelona ganharia, em Londres. Perdeu. Todo mundo achava que, em Barcelona, seria diferente. Foi: empatou. Com o Ramires marcando à la Messi (toquezinho sutil, cobrindo o goleiro).
Comentando o jogo de Londres (COMO ESTÁ O NOSSO FUTEBOL - postagem de 19 deste mês, http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/04/como-esta-nosso-futebol.html), disse que o esquema tático do Barcelona, de meter-se no meio campo do adversário, no ataque, acaba submetendo o Barça a fazer faltas, no meio do campo, quando o adversário toma a bola. Comentei que o esquema do Barça é nada inocente: é só o adversário tomar a bola e partir em contra ataque, vem falta do Barça, para interromper o jogo. Acho que é anti-jogo.
Observando o jogo de ontem, pensei em outras coisas (podem achar absurdo, que não me incomodo). O Barcelona é time de uma jogada só. Como? Mas e aquele carnaval que os craques fazem, no campo do adversário? Uma jogada só? É sim: uma jogada só. Ocupar a metade do adversário, espremê-lo em seu campo, e ficar trocando bola, até surgir a oportunidade de uma arrancada do Messi, ou de um passe na medida, na cara do gol. Lindo! Eficiente! Plástico! Mas uma jogada só. Não me lembro de ter visto o Barcelona fazer um gol em contra-ataque. Se ele se planta no campo do adversário, procura recuperar a bola ali mesmo, ou faz falta para impedir que o adversário avance, como é que vai contra-atacar? O Barcelona só ataca. É time de uma jogada só.
E a defesa? Fica bastante desguarnecida. É exatamente por isto que recorre às tais "faltas táticas". Se o adversário conseguir passar, a situação fica difícil para o Barcelona.
Os jogos contra o Chelsea parecem ter confirmado isto. Em ambos, a vida do Barcelona foi muito dificultada. Mesmo assim, marcou dois gols, em seu campo.Mas não falei que o Barça é timinho de uma jogada só. É um timaço de uma jogada só.
Vamos pensar, então, nos três gols do Chelsea: em Londres, Drogba marcou depois de receber, na cara do goleiro e sem marcação, uma bola que Ramires conduzira desde a linha central, sem qualquer adversário para combatê-lo (havia três espanhóis no caminho do último passe, mas nenhum deles marcava Drogba); em Barcelona, Ramires recebeu sem marcação, foi em direção ao gol e fez aquela beleza; depois, alguém do Chelsea deu um chutão e Fernando Torres foi atrás da bola (não foi um passe), alcançou, seguiu com ela, sem nenhum marcador à sua frente, driblou o goleiro e marcou. Ninguém na defesa, a não ser o goleiro.
Coincidência? Pode não ser. Pode ser que alguém esteja aprendendo a enfrentar o Barcelona.
Algum técnico pode estar observando o time e a tática.
Acho que é hora de o Barça variar.

Imagem: FIFAMANAGERBRASIL.
http://www.fifamanagerbrasil.com/t2868p555-ss-imola-campeao-da-champions-league-e-do-mundial-6-temporada
Postar um comentário