29 de dez de 2016

SORVETE E ÁGUA DE COCO: QUEM TEM MEDO DA LAVA JATO?

É claro que também me surpreendi com a lista do farnel do avião presidencial. Nunca vira isto publicado antes. Logo no quente da notícia, só impliquei com a água de coco porque logo fiz uma comparação com uma compra recente que fizera: eram 1.500 litros de água de coco por R$21.000,00. Fiz uma divisão rápida, mentalmente: cerca de 14 reais por litro (posteriormente, conferi). Ora, poucos dias antes, havia comprado, no varejo, água de coco, em caixinhas de 200 ml, a R$2,50 cada ou seja, R$12,50 o litro. Imaginei que em embalagem de litro, deveria custar bem menos (no estabelecimento em que comprei custa, mas acho a caixinha mais cômoda). Logo em seguida descartei a hipótese de as embalagens da licitação pudessem ser de 200 ml. Acho que "bacano" não bebe água de coco em canudinho, que nem eu. Deve ser em taça de cristal. Por vezes com whisky (não consta da lista, se não me engano). Da parte financeira, passei para a logística: tratava-se de 5000 porções de 300 ml cada uma. Se a compra estivesse sendo feita para consumo em um ano, teríamos 13 porções e caqueirinha (se quiser saber o que é, poderá achar, por semelhança, em caqueira) por dia, se o avião presidencial voasse todos os dias, com 13 pessoas, um copo para cada um; de dois em dois dias, dois copos para cada; penso que não há sede que exija mais em voos comuns; outras simulações poderão ser feitas por quem for mais aborrecido do que eu. Leio alhures que o avião presidencial, no seu 11º aniversário, efetuara 6.000 pousos em 10.000 horas de voo (http://www.mottors.com.br/2015/06/29/aviao-presidencial-brasileiro-o-airbus-a319cj-ja-esta-em-seu-11o-aniversario-e-ja-efetuou-mais-de-6-mil-pousos-e-mais-de-10-mil-horas-de-voo/). Pelo número de pousos, podemos verificar que efetuou caqueirinha mais de 454 por ano, ou seja, mais de 1,49 pouso por dia. Não pode ser parâmetro porque, sem dúvida terão ocorrido mais de um pouso por voo. Passemos às horas de voo: 909 por ano. Será necessário voar todos os dias, durante cerca de duas horas e meia por dia, consumindo 5,5 porções de 300 ml em cada voo, para acabar com as 5.000 porções da licitação. Se não tiver havido horas de voo mais do que o necessário, acho até que não tem água de coco demais nessa parada, conforme os participantes dos voos. Poderá haver horas de voo que não estivessem no caderninho.
Para mim, a discussão necessária não é portanto, sobre as quantidades (mesmo sem ver os demais itens).
A discussão necessária é sobre o superfaturamento. Quem quiser encontrará várias comparações. É só procurar.
A discussão, portanto, deve versar sobre o seguinte tema: se, em pleno andamento da Lava Jato, que trata especificamente de superfaturamentos para gerar propinas, como é que qualquer autoridade, no seu juízo normal, envereda pelo caminho do superfaturamento? É! Parece que ninguém tem medo da Lava Jato mesmo!
E o sorvete?
Bom. Isso é para outro papo. Volto depois para comentar.


Foto: link citado no texto.