12 de jun de 2016

SEM DISCIPLINA E SEM RESPEITO AO ÁRBITRO, NOSSO FUTEBOL SEMPRE DEIXA A DESEJAR

O jogo era Fluminense x Grêmio, com os dois na primeira metade da tabela. Poderia ser um jogão. Ora direis: a culpa é do juiz. Respondo-vos: Pobres árbitros, jogados às feras, sem qualquer atitude de autoridades esportivas para melhorar o nível do nosso futebol.
Aos 33 minutos, o volante do grêmio Ramiro, entendendo que o juiz deixara de marcar falta a favor de seu time, tomou atitudes que levaram o árbitro a aplicar-lhe cartão vermelho, sem o intermezzo do amarelo. Diretão, assim mesmo, sem qualquer cerimônia. Imaginei que alguma coisa grave deveria ter sido dita ao juiz pelo atleta. Depois, ouvi de um comentarista que, segundo o árbitro anotara na súmula, Ramiro dissera várias coisas, começando com a acusação de que "estava roubando", e, indo adiante, mimoseando o juiz com quatro expressões que - o comentarista garantiu - estavam registrada na súmula e que, no comentário, foi substituindo por "pi", "pi", "pi", "pi".
Essa não foi a cena mais importante para mim. Assinalo a cena do assalto. Ora direis: Mas houve assalto? Respondo-vos: bastou o juiz elevar bem alto o cartão vermelho, para que cinco ou seis atletas gremistas - mais o expulso, claro - arremetessem sobre ele, cercarem-no bem de perto e, alguns dedos em riste, gritarem coisas que não me foi possível ouvir.
Meu Deus! - diria o Milton Leite. Como é que se quer um futebol de alto nível, se um árbitro não tem um mínimo de segurança para apitar. Não sei se o juiz deixara de apitar falta, porque, mesmo com repetição do lance, não me foi possível situar-me. Com o que não concordo é essa mania de jogadores não poderem ouvir um apito sem partirem para cima de um auxiliar, ou do árbitro ou, às vezes, um para cima do auxiliar e outro para cima do árbitro. Estamos esquecendo de como jogar futebol, por causa de esse tipo de comportamento e por causa de várias outras irregularidades. Enquanto isso, o futebol apresenta altos e baixos, sempre em prejuízo do espectador - tanto o que vai ao campo como o que assiste pela tv.
Entendo que, na situação descrita, dado o vermelho, o juiz deveria ter aplicado o amarelo a todos os jogadores que o cercaram, cara-a-cara. Sei bem que o jogo teria acabado ali (só não sei qual teria sido a sorte do árbitro). Mas é preciso que isto aconteça, se quisermos mudar comportamentos.
Há algum tempo, foi expedida uma norma determinando que o árbitro aplicasse cartão para quem se dirigisse a ele, por palavras ou gestos, pedindo cartão para o adversário. Pude ver uma ou outra aplicação e a regra caiu no esquecimento. Os jogadores já aparecem, com frequência, mãozinha fechada, polegar colado ao indicador, punho balançando, como quem exibe um cartão.
Penso que seria muito bom que se estabelecesse de vez, para valer, mesmo, que o juiz aplicasse cartão amarelo em quem se arremeter contra ele, fazendo reclamações, mesmo que educadamente. Na insistência, vermelho. Exceção única para o capitão do time, a quem deve ser dado o direito de parlamentar, desde que não se aproxime do árbitro a menos de um metro, e em atitude respeitosa. Que é como todos nos devemos comportar.

Foto: globo.com - g1 - ge
http://globoesporte.globo.com/rj/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/11-06-2016/fluminense-gremio/