2 de dez de 2012

ENTÃO, A MÁGICA DE NEYMAR TERÁ DE SER JOGAR NA EUROPA?

Não acredito nessa leréia que anda por aí, avalizada pelo presidente da Fifa, de que Neymar só será o melhor do mundo quando jogar na Europa. 
Ronaldo - o fenômeno - colocou as coisas em duas alternativas: ou Neymar joga na Europa ou arrebenta na copa de 2014. Só assim será o melhor do mundo.
Fico com a segunda alternativa. Jogar na Europa não mudará o futebol de Neymar, não o tornará melhor. Ou será que Neymar só é o melhor entre os cabeças de bagre que jogam no Brasil. Será que é isto que o presidente da Fifa quer transmitir com sua declaração? Acreditam nisto?
Penso que não perdemos a mania de achar que os brasileiros são os melhores, mesmo quando não são. Stanislaw Ponte Preta escreveu em um texto (que não tenho à mão, agora, e não me lembro aonde está; provavelmente, com a Fifi, que "esconde" essas coisas), que, em um evento no qual havia homens de várias nacionalidades, um estranjeiro encarou os demais, dizendo que não tinha homem para ele, ali. Um inglês topou e, de cara, levou uma traulitada que o levou a nocaute (acho "mandou a nocaute melhor" porque "levar" é uma forma branda, consensual). Foi a vez de um francês topar a parada. Mesma solução. Até um africano, cheio de músculos e de matar um leão por dia. Nocaute na primeira porrada. Aí o brasileiro resolveu encarar. Malandro cheio de ginga, passinhos de capoeirista, rodeando o gringo, aproximou-se e pimba! Levou um contravapor tão violento que rolou alguns metros e deixou a contagem passar de dez. Isto - advertiu o Ponte Preta -é para a gente parar com esse papo de que somos os melhores em tudo.
Me diz aí (o pronome no início da frase lembra-me o Cirilo, soa melhor e serve para dar ênfase) me diz aí quando foi que o Neymar arrasou em um jogo internacional. Foi bisonho na final contra o Barcelona; a seleção fracassou com ele em decisões importantes, Neymar não teve o brilho que costuma ter no Santos. Não me venham dizer que a culpa é do Mano. Neymar não encantou o mundo, ainda.
Alguma coisa anda atrapalhando o melhor jogador do Brasil no Brasil. É preciso resolver isto já. Senão, poderá não brilhar na copa. Só papo não leva ninguém ao pódio.
Para ilustrar: Muitos jogadores brasileiros jogaram na Europa e não foram "o melhor do mundo". Logo depois da copa de 1958, Mazola (Altafini, para os italianos) foi para a Itália; Vavá foi para a Espanha; Didi foi para o famoso Real Madri, clube em que brilhava um argentino (argh!) chamado Alfredo Di Stefano (Didi não emplacou no Real); Julinho Botelho (contratação mais cara da Fiorentina, Itália, em 1955), após a copa de 1954; Walter Marciano esteve na Espenha, onde morreu acidentado. Dino, Vinícius, e muitos outros andaram lá pelas Oropa. Diz aí quem deles foi o melhor do mundo, diz. Garrincha não jogou na Europa. Só não teve a mesma projeção que Pelé por causa de fatores extra-jogo. Garrincha brilou para o mundo. Pelé nunca jogou na Europa. Foi aos Estados Unidos apenas para ajudar a organizar um time, e depois de ter-se aposentado, aproveitando-se - com todo o direito - da fama que conquistara. Não só foi considerado o melhor do mundo, como acharam-no o atleta do século XX. Não bastasse, ainda é figura imprescindível para valorizar o futebol em todos os eventos Fifa. 
Ficheiro:Campo de futebol medidas.jpgAcho melhor parar com essa leréia de dizer que Neymar só será o melhor do mundo se for para a Europa, como se isto fosse lógico e inexorável. Neymar só será o melhor do mundo quando for o melhor do mundo.
No mais, tudo muito simples: o lugar para se decidir aonde está o melhor do mundo é um só: aquele quadrilátero verde.

Foto Gol de Neymar contra o Flamengo:
Estadão.Com.Br
http://topicos.estadao.com.br/fotos-sobre-fifa/neymar-entre-os-melhores-do-mundo-da-fifa,54b490af-2504-4a11-b8d9-a65ee2de3b1f
Imagem Campo de Futebol: WikipédiA.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Campo_de_futebol_medidas.jpg
Postar um comentário