31 de dez de 2012

UM MUNDIM SÓ LÁ DELES

Assisti, hoje, a reportagens sobre visitas a museus, a exposições, em alguns lugares do país. Vi jovens vestidos com bermudas e camisetas, sandálias "de dedo", vários tipos, visitando esses lugares e eventos. Achei bacana e bateu uma esperança. Os modos de seleção de pessoas vão mudando e, com isto, mais pessoas são admitidas nos centros culturais, sem qualquer frescura.
Falo disto porque, passeando pelo Rio de Janeiro, junto com minha mulher, demos com os costados na Academia Brasileira de Letras. Engrenamos uma quinta e fomos entrando. Fracasso! Não podíamos visitar a Academia porque eu estava vestindo bermuda. Meu Deus! Os Imortais não gostam de bermudas. Será desacato? Desrespeito? Penso que não. Nosso clima é muito quente, somos um povo algo alheio à bacanidade... Bermuda, chinelo e camiseta está bom para nós. Não para entrar no prédio da Academia Brasileira de Letras.
Grande estratégia para disseminar a cultura da Academia, a nível popular.
Provavelmente não queiram descer ao nível popular. Provavelmente sintam-se mais gente do que o cidadão comum. Certamente, não se querem misturar.
Sei não. Prefiro os museus e exposições aonde todos temos acesso à cultura. Deixemos os Imortais de lado. Afinal, somos todos pobres mortais.

Foto: PÁGINA GLOBAL.
http://paginaglobal.blogspot.com.br/2012/05/academia-brasileira-de-letras-e-acusada.html

PS.: Se algum curioso tiver interesse, nessa página aí de cima encontrei o título "ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS É ACUSADA DE FRAUDAR ACORDO ORTOGRÁFICO". O assunto foi até o Senado, que convidou Imortais para explicação, mas nenhum compareceu. Será?

MESSI

Lionel Messi foi novamente cotado como o jogador mais valioso do mercado, de acordo com estudo (Getty Images)Assisti, ontem a uma reportagem sobre a história de Messi, que está disputando, agora, sua quarta consagração como o melhor jogador de futebol do mundo. Disputa com Cristiano Ronaldo e Iniesta. No ano passado, disputou com os mesmos Cristiano Ronaldo e Iniesta. 
Será por isto que o presidente da FIFA apregoa que Neymar só será o melhor do mundo quando jogar na Europa? Penso que não. Já escrevi, aqui, que Neymar só será o melhor jogador do mundo quando for o melhor jogador do mundo (http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/12/entao-magica-de-neymar-tera-de-ser.html). Para isto será preciso uma conjunção de astros e estrelas, como acontece na Europa. Os finalistas, tanto no ano passado, quanto neste, são jogadores do Barcelona (2) e do Real Madrid (1). Não fica nisto. Ambos os times têm jogadores de altíssimo nível. Uma andorinha não faz verão.
Ora direis, ouvir estrelas! Isto é impossível, no Brasil. Pelo menos durante algum tempo, não foi. Pelé foi o maior, sim! Mas jogou no meio de craques incontestáveis, todos a nível de seleção brasileira. Se não somos capazes de segurar nossos astros e nossas estrelas, isto é o fator determinante do fato de Neymar não ser o melhor do mundo.
Mas não é só isto, não.
Ponto que marquei, na matéria que vi ontem, foi o que se refere à estabilidade de Messi no gramado. Cai pouco. Procura ultrapassar as faltas. Já havia observado isto. À sua enorme habilidade, alia velocidade, agilidade e uma enorme vontade de permanecer de pé.
Já observara isto em Pelé. Em um filme sobre a vida dele. Se a memória não está me traindo, lembro-me de que, avançando com a bola, Pelé era caçado e desviava-se, como podia, das botinas dos adversários. Quando parecia estar caindo, fincava um dos pés no chão, erguia-se e colocava a bola. Sempre será uma surpresa para o adversário quando um "caibundo" (ou cadente?) se levantar. Ninguém estará esperando mais.
Neymar cai muito. Já caiu mais. Não sei se é por orientação de treinadores, ou se é porque, no Brasil, para se marcar uma falta, é preciso o jogador estrebuchar. Essa estória que inventaram de que futebol é jogo de contato não me convence. Os contatos são regulados pelas regras. Há que respeitar o craque e não buscar atingi-lo deslealmente. Muitos juízes deixam passar.
Acho que Neymar acabará sendo o melhor do mundo. É muito jovem e joga muito. Mas se quiserem que seja o Bola de Ouro da Fifa, ou terão de expatriá-lo, ou terão de fazer e cumprir um projeto "Neymar Bola de Ouro". A Europa não é melhor de bola (penso que Nelson Rodrigues assinaria esta frase: apaixonadíssimo pela Seleção e pelo Fluminense). É mais rica e consegue reunir os melhores jogadores de muitos países.
Se não for feito o tal projeto, corremos o risco de ver Messi arrebentar na Copa 2014 e consagrar-se mais.
Por enquanto, acho que nós e Neymar teremos de engolir Messi.

Foto: FOX SPORTS
http://www.foxsports.com.br/noticias/76954-messi-e-o-jogador-com-maior-valor-de-mercado-segundo-estudo


30 de dez de 2012

A FORÇA DO HÁBITO


Hoje, almoçamos - minha mulher e eu - no bar e restaurante Cabaça. Comida muito boa, saborosa e farta, embora não possamos nem queiramos com muita freqüência, por imposição da dieta, mas que dá vontade, dá. Ambiente muito simples, mais chegado para bar com ótima cozinha, freqüentadores muito à vontade. Um salão bastante amplo é separado da cozinha por uma pequena área com balcão, de onde o dono comanda as atividades, e onde alguns íntimos, com tempo de casa, tomam umas e outras, batendo papo entre si e com o dono. Já andei por ali, quando ia sozinho e ainda tomava "marvadeza". Hoje, fui para o salão. O dono viu-me e veio à minha mesa para cumprimentar-me e desejar feliz ano novo. Conheço "os Cabaça" há pelo menos vinte anos, estive lá com minhas filhas, já fiz samba lá, com amigos, enfim, também sou da casa.
Ocorreu uma cena que achei hilária. Um camarada, vestido em bermuda e camiseta polo, calçados sem meias (que nem eu, com a diferença que a minha camisa não era polo), ia passar da tal "pequena área" para o salão. A passagem é bastante larga, um vão legal. Antes de ultrapassá-lo, o camarada parou, empertigou-se, ajeitou a gola da camisa polo - mas com aquele digno gestual de jovem que vai adentrar o salão de baile, ajeita a gola da camisa e a gravata, para arrasar - estufou o peito e entrou, triunfalmente no salão. Achei que era força do hábito. Para mim, arrrrraaaazooou!

Foto: UOL Entretenimento Celebridades
http://celebridades.uol.com.br/album/george-clooney_album.htm


 

NOVA LEI SECA. E O DIREITO À INVIOLABILIDADE DA IMAGEM?

Até deve parecer que torço contra. Que torço para bandidos, infratores, bêbados ao volante...
Nada disto! Torço por mim!
É óbvio que sou contra bêbados ao volante. É óbvio que sou a favor da ordem, da paz, da felicidade... E - mais que tudo - sou mais a favor de que governos, juízes, agentes públicos me respeitem, conforme princípios constitucionais.
Sou, também, a favor da Constituição, que vive sendo atropelada. Já não bastam as incoerências existentes na própria Carta? A existência dos tais cargos de "livre nomeação", por exemplo, que gritam diferenças entre os amigos de Presidente, Senadores, Deputados, etc., e nós pobres mortais: diferenças porque pobres mortais só podemos ingressar no serviço público através de concursos; "amigos" são escolhidos por critérios estritamente pessoais, apesar de a Constituição estabelecer, como um dos princípios da administração pública, a impessoalidade.
E a nova lei seca? O que tem a ver com isto?
Na incapacidade de acabar com bêbados ao volante, os legisladores querem endurecer. Aí, vale tudo!
Acabaram determinando, no § 2º do art. 306, da Lei nº 12.760 - a tal lei seca, que

"A verificação do disposto neste artigo poderá ser obtida mediante teste de alcoolemia, exame clínico, perícia, vídeo, prova testemunhal ou outros meios de prova em direito admitidos, observado o direito à contraprova".

Ora, é curial que todos os tipos de "prova em direito admitidos" são admitidos em ações dos vários tipos. Só não se admite a prova ilegal. Então, submetamos o "vídeo" a exame de legalidade, ou melhor, de constitucionalidade.
Lá no art. 5º - no Título que trata dos direitos e garantias fundamentais - está, no inciso X:

"X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;"

Serão pruridos de um advogadim de província?
Penso que não! Acho que qualquer mínimo arranhão nos princípios constitucionais é um pedacinho de ditadura.
Ah! Então, como provar a embriaguês de um cidadão ao volante?
Penso que não precisa mais do que da prova testemunhal. O próprio policial que autua poderá ser uma das testemunhas (se não é julgador, não é parte no processo, pode ser testemunha). Mais duas pessoas que estejam presentes ao ato poderão testemunhar, também.
Dirão que a prova testemunhal é complicada. Concordo. Primeiro que tudo, porque a testemunha é considerada a prostituta das provas. De fato, poderá aparecer um amiguinho do infrator para dizer que ele nem havia bebido. E sempre existirá a probabilidade de o policial estar exagerando.
No entanto, o que deve ser apreciado é um conjunto de informações: a coerência de testemunhas locais com o testemunho do policial; a compatibilidade do estado etílico com o absurdo da manobra, como condutor de veículo (normalmente, os infratores são pilhados fazendo besteira), e a sempre possibilidade de o "amiguinho" correr o risco de praticar falso testemunho (a pena para o falso testemunho, em ação criminal, dá de goleada na pena da "golada"). Finalmente, se houver indício de embriaguês, o cidadão pode ser conduzido à delegacia de polícia, onde a prova testemunhal poderá ser reforçada, com perícia médica (a que, lembro, o cidadão poderá opor-se - o que poderá constituir indício da embriaguês, a contrario sensu).
E se acontecer com uma pessoa mais esclarecida, que declare, alto e bom som, que não quer ser fotografada, filmada, nem exibida? Se pode recusar o bafômetro, por que não poderá recusar-se a "posar para foto ou para filmagem"?
Então a imagem vale nada? Vale mais do que mil palavras, diz-se por aí.
Mas que se busque uma solução legal e constitucional para a imagem.
Para não parecer "do contra", indico uma: apenas o policial - ou agente público que o acompanhe - ser autorizado a filmar ou fotografar (filmar parece-me mais eficaz, porque o andar do bêbado é mais que manjado). Dali, a imagem seria transmitida diretamente ao juiz criminal, que autorizará a quebra do "sigilo", apenas para o Delegado de Polícia e para o juízo criminal. Juiz não pode quebrar sigilo bancário, telefônico, etc.? Por que não poderá quebrar sigilo de imagem?
Preserva-se o direito constitucional de inviolabilidade, que pode ser quebrado apenas por juiz, com fundamento.
Ah! Mas e o povão? Ficar privado de imagens constrangedoras? As TVs adoram mostrar, porque o retorno financeiro é proporcional ao povo que quer ver a desgraça alheia. O cidadão adooooraaaa! Desde que não seja com ele!

Imagem: Jequié Reporter
http://www.jequiereporter.com.br/blog/archives/25377

TÍTULOS DE NELSON RODRIGUES



"Tudo é possível em uma Jules Rimet, menos uma boa ação."


Do livro Brasil em campo, pág. 131.

29 de dez de 2012

ME DISSERAM...

frases de liberdade



"Estávamos melhor quando estávamos pior." - Ditado argentino.


"Está tudo predeterminado, mas devemos fazer de conta que existe livre-arbítrio e que o que venha a acontecer na história é conseqüência do que aconteceu antes." - Jorge Luiz Borges.

"Um colecionador ianque moveu ação judicial contra uma companhia de estrada de ferro porque ela, ao lhe trazer uma reprodução da Vênus de Milo, troxe-a sem braços. É claro que ele ganhou". - Oscar Wilde.

"Creio que afinal cada pessoa deve tomar sua vida nas próprias mãos." - Arthur Miller.

"Pode-se dormir na mesma cama com outra pessa, sem ter os mesmos sonhos dela." - Provérbio chinês.

"Deve-se julgar da opinião e caráter dos povos pelos dos seus eleitos e prediletos." - Mariano da Fonseca, Marquês de Maricá (1773-1848), político carioca.

Imagem: frases de liberdade
http://www.grandesmensagens.com.br/frases-de-liberdade.html






 


 

EM QUEM ACREDITAR?

Assisti à Retrospectiva 2012, pela Globo (uma espécie de Globo Repórter especial). Não vou discorrer. Deixou só dúvidas. O discurso oficial é no sentido de que o Brasil vai bem e somos um povo afortunado. A retrospectiva mostrou desgraças, vítimas de um serviço público de baixa qualidade, protestos, hecatombes... um ror de coisas desfavoráveis.Será que a imprensa só fala de desgraças? Ou estarão, mesmo, à nossa porta? Só sei que, pela manhã, o noticiário pela tv é uma catástrofe. Mas dizem que o Brasil vai bem. Onde estará a verdade? 
Em homenagem à minha dúvida, estou postando versos de Catulo da Paixão Cearense. Se não me engano, estão no livro Fábulas e Alegorias, do mesmo. Vamos:





A VERDADE E A FÁBULA
 
 
A verdade só é bem acolhida
quando dita por boca da parábola
ou adornada com os ouropéis da fábula
que é, neste livro, a companheira sua.
Pois todos nós sabemos que a verdade
é a única mulher de eterna virgindade
que o homem não quer ver quando está nua.
 
Pode haver algum erro, aí. Li o livro há muitos anos e a citação é de memória.

Foto de Catulo: Ialmar Pio Schneider
http://ialmar.blog.terra.com.br/2012/10/08/nascimento-do-musico-e-poeta-catullo-da-paixao-cearense-em-8101863-imagem-da-internet/

28 de dez de 2012

AS AVENTURAS DE ASTERIX

Ainda não provei as delícias de descer a serra, em meio a congestionamentos imensos, para ir divertir-me, intensamente, na praia ou em cidades onde moram parentes, e, dois ou três dias depois, fazer o caminho de volta, enfrentando os mesmos congestionamentos. Acho, mesmo, que nunca irei ter essa sensação, que deve ser indescritível. Nenhum estresse? Nenhum susto? Nenhuma contrariedade?
Deve ser interessantíssimo, porque milhares de pessoas fazem isto, nos dias de festas de fim de ano, na semana santa, nos feriados prolongados...
Claro que não é só no Brasil. E, segundo Uderzo e Goscinny, é coisa muito antiga.
Os dois criadores e divulgadores de Asterix - o gaulês - e Obelix praticaram a magia de transferir para o século V a.C. muitas das circunstâncias que caracterizaram o pós-automóvel e outras criações dos séculos XX e XXI.
Aproveito o espaço para registrar a comparação que fizeram.





Foto: Ambiência Soluções sustentáveis.
http://www.ambiencia.org/site/publicacoes/publicacoes/semana-do-urbanismo/a-insustentabilidade-nas-cidades/congestionamentos/

Imagem antiga (antigos turistas franceses indo à Espanha, no século V a.C.: Asterix na Hispania. Goscinny e Uderzo.

CIVUCA COSTA CRONISTA


Pé de pequi, cadê?

Cortaram um pé de pequi em Patos de Minas. Não um pé de pequi comum. Era o pé de pequi no meio das laranjeiras. Antes do bairro a árvore já existia em seu habitat natural. Espécie nativa. Mesmo assim cortaram-na sem cerimônias. Depredação ambiental grave. Crueldade e crime inafiançável. Mas então quem deu a ordem para passar o machado no frondoso pequizeiro que ficava no novo Bairro Laranjeiras? Estava atrapalhando a construção de uma avenida? Ah, é? Por que não aproveitou a árvore para um projeto urbanístico inteligente e sustentável. Burrice. Burrice como sempre.
A especulação imobiliária e a pavimentação de ruas, a construção de bairros, são progressos urbanos que poderiam, aliás, deveriam ser feitos com mais inteligência e modernidade, aproveitando melhor os espaços verdes e ecológicos. A sintonia com a natureza como é feita em muitos lugares, cidades e países mais evoluídos. Mas aqui não! É tudo feito de efeito contrário. Qualquer coisinha estão derrubando árvores centenárias. Coitado do pequizeiro. Foi ao chão sem direito de defesa. Agora virou lenha para fogueira de São João ou festas de Natal. Que santos são esses? Onde a mão do cristão é a motosserra que derruba tudo pela frente em nome do progresso que mais parece um regresso nessa vida de cão. Nesse mundo de destruição.
Pois é, mais uma árvore foi assassinada em Patos de Minas. Cortaram o Pé de Pequi. Por pura falta de visão. Visão de futuro. Imagine só. Você morar próximo a uma frondosa árvore. Um pequizeiro que pode servir de referência. Um cartão postal. Um mascote vegetal do bairro. Tipo assim: “sua casa fica próxima de onde”? Fica de frente ao Pé de Pequi no Bairro Laranjeiras. Olha só que barato. Duas frutas ricas em vitaminas. A laranja e o pequi. A natureza é assim. Mágica e que nos prega surpresas. Árvores nativas do cerrado convivendo com frutas cítricas enxertadas ou não. Não importa. Importa é a preservação do verde, da floresta e das árvores. Até quando a nossa cidade será alvo de gozação, por pura ignorância, especulação e da gula do poder econômico da estupidez do ser humano. Deixe o Pé de Pequi viver em paz. Dizem que os responsáveis pelo loteamento e pelo corte do pequizeiro terão que plantar outras mudas para pagar o preço da derrubada da árvore. Ou seja, amenizar o pecado. Mas quem garante que os outros pequizeiros irão sobreviver? Fora de seu habitat natural. Quem vai fiscalizar? Quem irá acompanhar o caso? Quem garantirá a sobrevida dos pés de pequis bebês? Será que eles vão vingar? A vingança não faz parte da sustentabilidade. Será que isso é que se chamam de progresso...
Em tempo: O pequizeiro é uma árvore imune de corte, ou seja, pela sua raridade, beleza, liberdade e risco de extinção, é proibida de ser derrubada. Mas aqui as coisas são diferentes. Pois, “A ignorância é que atravanquia o progressio”, já dizia Odorico Paraguaçu, na novela O Bem Amado.
Agora só ficou a mensagem no Epitáfio: “Aqui jaz um Pé de Pequi”, em Patos de Minas. Por ironia do destino é a Terra do Milho. Da lavoura, da produção e da pecuária. Será? Bendito é o fruto! De quem prevê o futuro...

27 de dez de 2012

CIVUCA COSTA CRONISTA

FORA DO AR  

“Fechado para balanço”, diz a placa na porta de entrada. Vou dar um tempo só pra mim, repensar os planos de vôo, diz a placa na porta de saída. Estou saindo de férias depois um bom tempo sem ouvir a expressão “tô de folga”. De vez em quando é bom. Um silêncio. A quietude. Se desligar. Se reciclar. Para pensar um pouco na vida.
A despedida se parece a uma noite despida, vestida de madrugada à espera de mais um dia. O dia é um príncipe, a madrugada é a mulher amada, a noite é a criança que vive dentro de cada um de nós. Tem gosto de sono e saudade. A despedida é o início do ponto de partida. A vida é grávida sem nenhuma gravidade. Tudo está no ar. A vida é liberdade.
Depois de três anos sem um pingo de férias, vou ficar fora do ar por um mês. Para um bom descanso, para um bom silêncio. Férias premiadas? Não. Férias merecidas? Sim. Nosso programa de rádio sai do ar este mês e só volta no ano que vem. Em meados de janeiro. Vamos dar um tempo para pensar melhor o tempo. Um futuro diferente. Com mais conquistas e realizações de sonhos. No ano que vem iremos botar no ar um programa com mais fôlego, com mais dinamismo e diversão. Criatividade ao pé da letra. Música boa ao pé do ouvido. Dica de livro e cinema. Dica de saúde e entretenimento. Dica de vários assuntos de interesse social e cultural. Em dia com a política e com a cidadania. Muita gente e muita alegria. É tudo de bom!
Nosso programa que conquistou o gosto dos moradores de Patos de Minas com quase 30 meses no ar, agora o Radio@tividade vai virar o Tudodebom.com.
Com tudo de bom mesmo. Novo formato e novas ideias. Vamos torcer para que tudo dê certo. Vou ficar fora do ar por um tempo. Para pensar um pouco sobre a linha do tempo que nos espera. Para seguir em frente, firme e forte. Equilibrando na linha do horizonte e tocando em frente os nossos planos.
Tocando e dançando conforme a música. Conforme a vida. Uma vida inteira que nos diz amém.
“Fechado para balanço”, diz a placa na porta de saída. Boa noite!

COM A MAIOR AUTORIDADE!

Não sei se foi na inauguração do sambódromo, ou em uma dessas passagens de ano, de lá pra cá. Acho que foi na inauguração. Lembro-me de que uma repórter entrevistou um garçom, daqueles caras muito empertigados e falantes. Pelos cotovelos. Metido a dominar vocabulário, inglês inclusive, falava empolado. Estava falando a respeito dos camarotes e dos respectivos benefícios. Disse que havia bebida à vontade, lanches, tira-gostos, de um tudo, enfim. Ceia à meia noite e escaldado na madrugada. Prosseguiu:
- Pela manhã, o blackfast!
Emendou de sem-pulo, maior autoridade:
- Compreto!


Foto: LeiaJá
http://www.leiaja.com/carreiras/2012/senac-de-gravata-inscreve-para-curso-de-garcom-gratuito

HORÓSCOPO

É claro que acredito, uai! Mas tem hora em que os horoscopistas escorregam no tomate. Hoje, pela manhã, ouvi, a respeito de um signo de que não me lembro:





"Se tiver dificuldades respiratórias, consulte um médico".

 Ora, datissima maxima venia, isto lá é horóscopo? Uai!

Imagem (editada): CRIARFAZER.NET
http://criarfazer.net/como-ganhar-selos-de-signos-no-orkut/

26 de dez de 2012

A MECHA ESTÁ ACESA!

Alguém dirá que sou terrorista. Pessimista. E outros "istas" sobre coisas que incomodam.
Não sou leitor habitual da Folha de São Paulo. Graças a Deus! Ganhei um exemplar da edição do dia 9 de dezembro, em São Paulo, quando me preparava para ir a Guarulhos, pegar vôo para Bonito. Fui ler e deparei com vários incêndios avisados. Tentei ler um pouquinho, no avião, que desce tão rapidamente que nem dá muito tempo. Vocês não estarão pensando que aproveitei o tempo, em Bonito, para ler a Folha, não é mesmo? Nunquinha!
Voltei hospitalizado. Não deu para ler o jornal.
Já em forma, estou falando da primeira matéria que anotei, quando da lida superficial. Está na primeira página:

"Agências deram nota alta a bancos que quebraram"

Subtítulo: "Pouco antes de sofrerem intervenção do BC ou serem liquidadas, instituições foram avaliadas como seguras".

Diz lá que o BVA (não conheço) foi julgado seguro, dias antes da intervenção do Banco Central. E que, menos de dois meses antes da ação do BC, o banco foi classificado como de risco baixo pela Austin Rating (também nem sei). Fala, ainda, que "O mesmo ocorreu com o Cruzeiro do Sul, liquidado em setembro com um rombo de R$2,2 bilhões, e o Panamericado, que teve intervenção no final de 2010.
Fala de providências anunciadas e que "As agências dizem que fazem suas avaliações com base nas informações divulgadas pelos bancos".
Quanto a essa última aí: se as informações emanam dos bancos para agências, não precisa de agência: os próprios bancos poderiam divulgar as próprias avaliações. Tem muita gente aí ganhando muito dinheiro, em demandas criadas por ela própria. Sabe-se que as avaliações dos bancos sobre si mesmos devem ser recebidas com ressalvas. Mas se as agências só repercutem, então...
Sou pobre. Nem sei o que é bilhão. Nem imagino! Mas preocupo-me, no geral:
Como é que irei acreditar nos conselhos até do governo, de que devo poupar, se há dados financeiros falsos transitando por aí, e o BC não sabe? Gritem-me que não sou especialista em finanças. Responderei: é por isto mesmo, uai! Sinto-me que nem o Tom, ou o Jerry, quando a mecha daquela bomba está acesa, foguinho caminhando na minha direção...

Imagem (editada): Mundo Tentacular.
http://mundotentacular.blogspot.com.br/2010_05_01_archive.html

NOVO MINEIRÃO

O velho Estádio Magalhães Pinto está de cara nova! Vai ter copa do mundo lá. O Sportv levou a gente para dar uma passeadinha lá dentro. Muito bacana, tudo muito moderno. Muito mais comodidade para quem tem muito mais grana: os camarotes têm cadeiras voltadas diretamente para o campo.
Estranhei o número das banheiras de hitromassagem. Só seis. Mas os jogadores que saem cansados, suarentos, até fedidos, não são onze (se não tiver acontecido substituição)? Por que só seis banheiras?
Poderá parecer luxo. Não acho. Afinal, sempre estarão envolvidas apenas duas equipes, vinte e dois jogadores, no máximo (mais substitutos eventuais). Se tiver havido substituição, o substituído poderá ir direto para a hidro, deixando-a livre, ao final do jogo, para o substituto. O custo adicional de mais cinco banheiras não representará grande coisa, proporcionalmente à grandiosidade e ao custo da obra.
Só seis?!!!! Vão ficar faltando cinco, pelo menos!
Será que os jogadores vão ter de pegar senha? Será que o artilheiro do dia vai ter preferência?
Ou será que teremos dois jogadores em cada banheira? Sei não! Esquisito! 
Em tempo: Pelo visto, escrevi besteira. Se não me engano, a matéria divulgada pelo sportv mencionava e mostrava apenas seis banheiras. Pesquisando, encontrei, em skyscraper city (http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=569110), a informação de que há onze banheiras em cada vestiário.
Ainda bem!
Nota: Só o vestiário do Cruzeiro estava aberto à visitação.

Foto: skyscraper city.
http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=569110

25 de dez de 2012

COMENTANDO COMENTÁRIOS

Está na revista Veja de 26/12, pág. 177




"Quando ser de esquerda dava cadeia, só alguns poucos assumiam essa posição. Agora, quando dá até emprego, todo mundo se diz de esquerda." Ferreira Gullar, poeta, em março deste ano.
 
 
 
Natural, Gullar! Política tem de idealismo e de oportunismo!
  
Imagem: Revista e página citadas.

E-MAILS PERIGOSOS

Já vi - como a maioria - advertências para não abrir determinadas mensagens eletrônicas. O motivo é sempre o mesmo: costumam carregar virus.
Quase abri uma hoje. Transcrevo:



"Bando do Brasil Aviso Importan-
te: Evite a Suspenção de sua Conta. - Banco do Brasil - Renovação de sua senha de central de atendimento. Autenticação: E20T05O17P Prezado(...".


Por um triz não abri porque, quase sempre que vou escrever o nome de um banco, por um desvio de neurônio,
provavelmente, escrevo "bando". Pode ser que seja pé atrás com bancos. Juro que não é proposital.
O cedilha na palavra "suspensão" não me incomodou. O que me fez recuar e não abrir foi, mesmo, a expressão "Bando do Brasil".

Imagem: UTIblog
http://bloguedauti.blogspot.com.br/2010_06_01_archive.html

NELSON RODRIGUES

"Os dois sujeitos que melhor se vestem na vida real são o noivo e o defunto. Na hora de se enfiar no caixão ou na pretoria, o ser humano põe seu melhor terno e exibe o seu melhor vinco."




Fonte: Crônica "Eis a verdade nacional: - juiz não tem horário!", no livro "Brasil em Campo", organizado por Sônia Rodrigues, filha do autor - Editora Nova Fronteira.
Foto: Nelson Rodrigues: contra-capa do livro.

O REI LEÃO

Como gosto de desenhos animados! Dos antigos. Os modernos mostram violência extrema e poderes tecnológicos sobrenaturais. Todos os super-heróis têm poderes extraordinários, sempre capazes de produzir enorme violência, sem retorno. Não me agradam muito, também, nos antigos. Gosto dos desenhos em que a violência desfaz-se com um rabisco de lápis: o Tom esmaga o Jerry (e vice-versa), que logo sai, lépido e fagueiro, a aprontar outra travessura. Há casos em que gato e rato se reconciliam, quando um pode quebrar o galho do outro.
Como gosto, fiquei acordado, ontem, para assistir ao "Rei Leão".
Chamou-me a atenção a aliança de Scar - o tio ambicioso de Simba, o herdeiro do "trono" - com as hienas. Não é novidade. A história está cheia de felônias, matanças de parentes, usurpações... Maldade e mau caratismo é o que não falta. Em "O Rei Leão", os criadores conseguiram o inimaginável: conciliar leões com hienas. Na verdade, leões, não. Apenas Scar - o usurpador - buscou apoio "político" nos clãs de hienas. As leoas submeteram-se, como soe acontecer nas ditaduras.
Interessou-me, também, a "solução" implantada por Pumba e Timon, para as angústias do leãozinho Simba, que se exilou: "Hakuna Matata"! Palavrinhas mágicas capazes de calar consciências.
Qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas, ou com fatos reais terá sido mera coincidência.

Imagem: Disneypedia.
http://www.disneypedia.com.br/personagens/simba/

24 de dez de 2012

NATAL


Nunca achei que o Natal muda a vida ou a rotina das pessoas, em geral. Tem festa? Tem toda sexta-feira, em algum lugar, "mormentemente" (Odorico Paraguassu) nas redondezas de faculdades. Carnaval também tem. Semana Santa também tem. São João também tem. Tem Festa do Milho e do Peão Boiadeiro. De bonecos no Recife e do Bumba-meu-Boi na Amazônia. Sem falar nas conquistas de campeonatos, etc. A gente sabe que há um circuito de feriados e de comemorações destinado a buscar mais algum nos bolsos do povo. Não vim para dizer que o Natal é festa capitalista. No capitalismo, tudo tem de ser capitalista, senão não é autêntico.
Acho que o Natal leva uma vantagem: junto com o Ano Novo, é oportunidade em que todos se desejam, mutuamente, várias coisas, todas muito boas. Mas isto pode e deve ser feito a cada dia, para todo mundo, de corpo presente ou não. Palavra e pensamento levam a mensagem a algum lugar de onde reverbera. Isto muda rotina.
Apesar de pensar assim, não quero ficar de fora, no Natal. Afinal, as pessoas gostam de que alguém lhes deseje Boas Festas. Desejo a cada um aquilo que mais desejar. Desejo felicidade a todas as pessoas do mundo. Desejo que a humanidade (estou dentro) melhore só um pouquinho, a cada ano, em cada Natal. Projeto de longo prazo, claro. Se melhorar um pouquinho a cada ano, é claro que haverá melhora maior, ao longo do tempo.
Desejo Paz. Como desejo Paz, meu Deus!

Imagem: clickgrátis.
http://www.clickgratis.com.br/fotos-imagens/search/?q=natal

OUVIDO DE PASSAGEM, DA TV GLOBO (OU MULTI SHOW)

"O mundo não acabou! Nem o BBB!"
É!... Acabar o mundo pode ter, mesmo, suas vantagens. Acabarão, junto, as guerras, a miséria, a violência, a corrupção... e o BBB!

CLIMA DE NATAL. VOLTO AO ASSUNTO, EDITANDO AO FINAL;

Pode ser que eu seja mesmo pessimista. Mas não consigo enquadrar-me no pensamento hodierno. Pela manhã, assisti a um noticiário da Globo (antes do Jornal Hoje). O Evaristo era o âncora. Concluiu: "terminamos o programa EM CLIMA DE NATAL".
As notícias que havia dado:
- treze pessoas (ou perto disto) morrem em um acidente no nordeste, operários em São Paulo, viajavam em uma van, para visitar familiares, no Natal. Uma carreta cortou o barato. O motorista da carreta estava embriagado.
- uma criança é atropelada e morta, em Brasília, numa cidade satélite (se não me engano); a criança (prensada na parede, pelo carro) estava com a mãe, que ficou ferida e foi hospitalizada; ..... e aí por diante.
Clima de natal?
MAMÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ!!!!!!!!!

acidente em erechim Acidente em Erechim RS
Motoristas de carros grandes e pesados costumam sentir-se com o tamanho dos carros que conduzem.




É preciso educar adequadamente condutores de carros grandes e pesados. As dificuldade de frenagem são uma determinante.
Carros pequenos têm nenhuma chance.

acidente em ribas do rio pardo Acidente em em Ribas do Rio Pardo

Batida em reta é uma coisa praticamente inimaginável. Mas acontece, por ultrapassagens ilegais, em geral.

Um ano depois, vejo que a situação continua: a tv fala-nos de muitos acidentes, muitas vítimas. Isto não pode ser considerado, definitivamente, clima de Natal.
Podem xingar-me de pessimista. Hoje, ouvindo música pelo rádio, concluí que habito um mundo pelo menos diferente. Não consigo entender o porque de os poetas cantores fazerem letras que falam de pessoas muito boas. Acho que sou alegre, acho a vida boa, vejo e admiro muitas belezas existentes no mundo. Mas as pessoas - incluindo eu, claro! - precisam mudar muito. Só desejar feliz natal e próspero ano novo não é atitude.
Mesmo assim, Feliz Eternidade para todos nós!



Fotos: Acidentes de Carros
http://www.acidentedecarro.net/

PRECONCEITO

Minha mãe contou-me, há muitos anos. Só pelo meio de transporte, dá para calcular quantos.
Num bonde em que ela estava, havia um negão, mas negão autêntico: grande, muito negro (retinto, dizia ela), muito prosa. E dizia, alto e bom som, sem rebuços:
- Não gosto de preto! Esse bicho não presta! Vê lá se eu vou gostar de preto, algum dia!... E daí para a frente.

É claro que chamou a atenção. E quanto mais interessados em sua manifestação identificava, mais invectivava, referindo-se a seus colegas de cor, cada adjetivo mais impróprio. Quando viu que o ibope atingira o pico, emendou, agora com voz terna:
- Sou muito chegado, mesmo, é numa crioula!...

Bom gosto é isso aí, uai!


Foto: Dicas de Maquiagens
http://www.dicasdemaquiagens.com/2011/03/11/maquiagem-para-pele-negra-2/

23 de dez de 2012

ENCONTRO DE FAMOSOS

Andanças pelo Rio de Janeiro, aproveitei para fotografar uma cena que vira na revista "Bundas", com texto que achei interessante e que repito, dado já o crédito à revista (já que não se fazem Bundas como antigamente!). Vê-se que é um bar.




É o encontro do Prudente com o imprudente de Morais.

PERSONALIZADO?

Um atributo que muitos fornecedores de serviço apregoam, relativamente a seus serviços é o tal de "personalizado". Ocorre de fornecedores de bens de consumo fazerem a mesma coisa. Sempre achei uma balela. Todo mundo quer possuir um bem personalizado, ou ter atendimento idem. É o caso, por exemplo, do sujeito que "truca" o advogado, dizendo-lhe, até com certo autoritarismo:
- Você é meu advogado!
"Sou nada!", poderá responder. O advogado pode estar vinculado ao cliente para um ou mais casos. Mas a expresão "meu advogado" tem custo bem maior: o sujeito tem de ser patrão do advogado, contrato de trabalho, pagar-lhe salário, 13º e demais obrigações. Caso contrário, o causídico (tenho de variar, pô!) será advogado do sujeito em determinada causa, pois estará sendo remunerado apenas para isto. Plantão custa pouquinho mais caro.
É só para tentar deixar claro que todo mundo quer algo personalizado.
Vai daí que os fornecedores aproveitam-se, douram a pílula e fingem para o cara que o mesmo é diferente: atendimento personalizado! Que nada! Os clientes "personalizados" dos bancos são iguais a todos os de seu nível econômico-financeiro. E assim por diante.
Hoje, o "personalizado" foi mais, muito mais longe: estava eu dando uma passeadinha no Pequenos Negócios & Grandes Empresas, quando vi um fabricante de bolas (futebol, futsal, etc.) badalando seu negócio. Falou que produz quatrocentas bolas personalizadas. Quatrocentas?!!!!! Uma, de cada tipo, cada uma com desenho diferente, para cada consumidor?
Ora, não me venham com os borzeguins ao leito!

Foto: Jequié Repórter
http://www.jequiereporter.com.br/blog/archives/8666

RECLAMAR RESOLVE







Postei, há dois dias, matéria longa alusiva a direitos do consumidor e ao desrespeito com que os consumidores de celulares têm sido tratados, tanto pelas prestadoras quanto pelo governo
(http://cadikimdicadacoisa.blogspot.com.br/2012/12/no-embate-entre-consumidores-e.html).
Acho que acabou parecendo um desabafo. Não era a intenção. A intenção é estimular a bronca, quando nossos fornecedores, principalmente os de massa, incomodam-nos.
Hoje, naquelas tirinhas que correm na base da televisão, deparei com notícia alvissareira:a ANATEL suspendeu promoções de operadoras, até janeiro. Fui ampliar. Está em "o globo" - http://oglobo.globo.com/tecnologia/anatel-suspende-promocoes-de-operadoras-ate-janeiro-7126572

"A decisão se deve ao aumento das reclamações de clientes nos últimos meses e ao temor de que a rede de telefonia das operadoras não suportasse o tráfego adicional de dados (internet móvel) e voz, provocando queda na qualidade do serviço."

Volto ao assunto apenas para reforçar: adianta reclamar, sim! Quanto mais reclamarmos, melhor seremos atendidos. Vale a pena azucrinar a ANATEL, o Ministério das Comunicações, a Presidente da República, enfim, os responsáveis pelas concessões às operadoras, e que têm a obrigação de vigiá-las.
Não sei como chegar ao Ministro das Comunicações e à Presidente da República. Se alguém puder orientar, vou azucrinar. A matéria foi lida por onze pessoas. Se estiverem lendo esta e puderem ajudar-me, ou indicar ajuda, vou atrás. De qualquer maneira, estarei procurando por meus próprios meios, também.

Foto: Jogando Pedras
http://jogandopedras.blogspot.com.br/2009_09_01_archive.html


VOCABULÁRIO

Ontem, tive a oportunidade de dizer a uma criança que, se ler bastante, conhecerá muito mais palavras do que um número considerável de pessoas. Minha mãe fazia-me estudar com um dicionário ao lado. É óbvio que aprendi alguma coisa.
Millôr Fernandes escrevia na revista "O Cruzeiro" - Pif-Paf, se não me falha a memória. Produzia uma seção chamada "Ah! Essa falsa cultura". Emitia os conceitos mais estapafúrdios que - tinha certeza - muita gente engoliria tranquilamente.
Numa bela noite de verão, estava eu em sala de aula, terceiro grau, curso de publicidade e propaganda (gente que precisa muito de vocabulário), quando uma moça perguntou à professora o que é ´"apático" (a palavra aparecia em um texto).
Só não incorporei o Millôr, literalmente, porque ele ainda era vivo. Mas serviu-me de inspiração. Pedi à professora que me deixasse responder. Autorizado, deitei "conhecimento":


Apático é o indivíduo da tribo dos Apáticos, índios nômades estadunidenses que vagavam pelas verdes pradarias de Manitou. Adquiriram esse nome porque tiveram um chefe - Touro Sentado - que, por viver sentado, tornou-se paradigma dos índios, que passaram a chamar-se "apáticos".








É claro que não sabia mais de Touro Sentado do que seu nome. Fui pesquisar e aprendi que foi chefe dos sioux. Só sabia que Cochise foi chefe apache, porque vi no filme "O intrépido general Custer", com Errol Flynn. Mas como é que eu poderia justificar a "apatia" da tribo acima, se não achasse algo que pudesse dar credibilidade ao conceito?
A mocinha entendeu nada. Nem ninguém entendeu!

Foto de Touro Sentado: Tecido Vivo.
http://tecidovivo.blogspot.com.br/2010/12/120-anos-sem-coragem-de-touro-sentado.html

CRUZEIRO TRICAMPEÃO SUB20. DISCUSSÃO DE COMPORTAMENTOS

Guilherme Testa/Futbase.netInternacional e Cruzeiro fizeram um belo jogo! O Cruzeiro sagrou-se campeão brasileiro de futebol, categoria sub-20. Tri-campeão! Não vejo precisão de comentar os lados positivos, porque há farta matéria publicada. Prefiro discutir se os campeonatos envolvendo divisões de base são realmente didáticos. Em tese, servem a preparar os jovens para as disputas maiores, até copas do mundo.
Penso que todos os dirigentes, jogadores, árbitros, treinadores, etc. estão satisfeitos com os vários níveis, físico, técnico, tático, disciplinar... Na minha opinião, nossos jovens estão sendo preparados para os mesmos comportamentos negativos que vemos nos jogos de futebol. É aqui que empaco meu burro e passo a comentar anotações que fiz, durante o jogo.
O Cruzeiro vencia por 1x0, quando o goleiro cruzeirense fez duas defesas em chutes seguidos, tendo a segunda bola atingido perto daquela parte mimosa da geração (pelo que vi, a bola bateu na coxa). Vibrou intensamente com as defesas que fez, pulou, saltou repetidas vezes, maior animação. Logo em seguida, na maior cara de pau, caiu ao solo, para fazer cera. Comportamento anti-esportivo que a gente sabe ser estimulado por quem dirige.
Em uma disputa de bola, zagueiro do Inter e atacante do Cruzeiro desentenderam-se e trocaram amabilidades verbais. O árbitro parou o jogo, para advertir os dois. Apartou-os e foi severo com eles. O comentarista disse que o árbitro não precisaria ter interrompido, porque a coisa tinha-se resolvido naturalmente. Aí mora o perigo, penso eu. O árbitro não pode permitir esses atritos, sob pena de o jogo degringolar. Se tivesse acontecido isto, o mesmo comentarista acabaria culpando o árbitro.
De uma outra feita, um jogador do Cruzeiro atingiu adversário no rosto, com o braço. A jogada foi normal, o cruzeirense apenas abriu um pouco "as asas". O árbitro não interveio. Depois, foi a vez de um zagueiro do Inter atingir um adversário, agora fazendo movimento explícito de opor-se ao avanço do mesmo, por trás. O árbitro deixou passar e o comentarista concordou. Logo em seguida, um cruzeirense atingiu o adversário, com o cotovelo, se não propositadamente, com excesso. O braço pegou na nuca. O árbitro puniu com amarelo. Mas o jogador do Inter fingiu que o choque fora no rosto. Tudo ensaiado. A conclusão que tiro é de que, quando o árbitro não intervém, os jogadores atuam com menores cuidados. Alguns simulam golpes que não receberam, ou onde não os receberam. Apesar de o campo ter sido povoado com auxiliares de arbitragem, ninguém vê. Fosse uma ou outra vez, seria normal. Mas a freqüência é muito grande.
Apesar de algum órgão de futebol haver determinado que o juiz aplique cartão amarelo em quem o pede para adversário, a prática é aquele gesto bem característico, pedindo cartão. Aconteceu isto, hoje. Treinadores e jogadores querem arbitrar. Chegam a advertir adversários, quando acham que simularam, e outras condutas que se costuma reprimir.
Por fim, quando do segundo gol do Cruzeiro, Pedro Paulo, o autor, para comemorar, tirou a camisa e lançou-a ao solo. Sabia que iria receber cartão amarelo. Apesar de achar que o goleador tem o direito de comemorar como quiser (desde que não seja ilegal, nem imoral, nem engorde), não concordo com o jogador que "pede" cartão amarelo. Questão de ética, respeito pela torcida, pelo adversário, pelos companheiros, e por si próprio. E garantia para o time, porque, com o jogo ainda por acabar, haveria a possibilidade de novo amarelo, seguido pelo cruel. Se o jogador estivesse cotado para cobrar pênalte, em caso de empate... Mas parece que disciplina está fora de moda. O prêmio Belfort Duarte só vale para jogadores aposentados... Quem sabe, aí, o que é o prêmio Belfort Duarte?
Esta prosopopéia toda é para deixar uma indagação: estamos satisfeitos com os comportamentos observados em futebol? É assim que queremos o nosso futebol? É assim que queremos ver nossa seleção?

Foto: Super Esportes.
http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/cruzeiro/2012/12/22/noticia_cruzeiro,237762/cruzeiro-derrota-internacional-e-conquista-tricampeonato-do-brasileiro-sub-20.shtml

22 de dez de 2012

COMENTANDO COMENTÁRIOS

Está em "Veja Essa", na edição de 5/12, da Veja, página 73:

" 'Temos uma cidade onde há 17000 quartos de hotel e um estádio para 45000 torcedores. A única solução seria colocar três pessoas em cada cama.'  - JÉRÔME VALCKE, secretário-geral da Fifa, referindo-se, sem citar o nome, a uma das cidades-sede da Copa de 2014."

Penso que o Sr. Jérôme possa ser bem intencionado (o caminho do inferno é calçado com boas intenções). Mas poderá ter escorregado no tomate, com essa mania que alguns estrangeiros têm de menosprezo por nossas coisas. Não é patriotada, não! Vamos raciocinar, como teria dito o general:
São 45000 lugares para torcedores. Se considerarmos que cada quarto - dos 17000 - abrigue casais (acho que, na copa, solteiro terá de dormir na praia, em barraca..., se dormir!), teremos lugar para 34000 hóspedes. Sobrarão 9000 lugares para torcedores morando na cidade onde o jogo será realizado. Será muito? Será um favor muito grande da Fifa, deixar que os brasileiros também possam assistir aos jogos? Seguindo raciocínio: consta que a copa do mundo não é freqüentada por anjos. Assim, não será absurdo admitir que poderá haver a incidência de eventuais surubas, sexos grupal e interdisciplinar. Penso que poderá ter espaço demais!

Foto: PROCURA-SE: gargalhadas e amor!
http://procura-segargalhadaseamor.blogspot.com.br/2011/02/frases-sabias-suruba-da-vida.html 

COMENTANDO COMENTÁRIOS

Está em "Veja Essa", pág. 72 da Veja de 5/12:

" 'Atenção, retardados que estão assistindo a Pica-Pau, começou a TV Xuxa.' - MÁRIO MEIRELLES, diretor do programa TV Xuxa, ao saber que a Rainha dos Baixinhos perdia no ibope para o Pica-Pau da TV Record".

Mania de pessoas que detêm poder costuma ser menosprezar quem pensa diferente delas, ou escolhe diferente do que pretendem. Quem não pensa como elas, ou não concorda com elas é imbecil ou retardado.
Considero isto um dos maiores exponenciais de censura.
Estranho que venha de um homem de comunicação, trabalhando em emissora que defende, com unhas e dentes, a liberdade de pensamento e de expressão.
Ou pensará que escolha não é forma de expressão? É até recado...

Imagem: Blog Folhas de Campo Maior
http://folhasdecampomaior.blogspot.com.br/2012/11/o-que-e-liberdade-de-expressao.html

E, NO ENTANTO, O MUNDO NÃO SE ACABOU

Minha mãe cantava, quando eu era criança:

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso a minha gente lá de casa começou a rezar
E até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite lá no morro não se fez batucada


Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando de aproveitar

Beijei na boca de quem não devia
Peguei na mão de quem não conhecia
Dancei um samba em traje de maiô
E o tal do mundo não se acabou


Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso a minha gente lá de casa começou a rezar
E até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite lá no morro não se fez batucada


Chamei um gajo com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele mais de quinhentão
Agora eu soube que o gajo anda
Dizendo coisa que não se passou
Ih, vai ter barulho e vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou


Infelizmente, não costumamos citar pessoas ligadas à obra. No caso de canções, então, aparece o(a) cantor(a). O autor é Assis Valente (que mandou, dentre outras, a oportuna "Boas Festas" e a exaltação "Brasil Pandeiro"). No caso de "E o mundo não se acabou", A Wikipédia indica Marlene, como intérprete (álbum "Marlene Apresenta Sucessos de Assis Valente", 1956).Carmen Miranda gravara, em 1938.
Quando a TV Globo exibiu "A Indomada",essa era a música-tema da Indomada.
Depois, Adriana Calcanhoto gravou. Outros vieram, com menos visibilidade.
Ultrapassamos 21/12/2012.
Qual será a próxima jogada? Habilitem-se, Nostradamus da vida!

Foto (Carmen Miranda): Tertúlia - Loja Virtual.
http://tertuliaartesanato.com.br/loja/index.php?route=product/category&path=35_126
Foto (Adriana Calcanhoto): Próximo Show
http://proximoshow.com.br/adriana-calcanhoto-inicia-turne-no-rio-de-janeiro/

21 de dez de 2012

O QUE IMPORTA É O "SLOGAN"

Estive em Bonito. Bonito, mesmo! Depois, falarei disto. Por enquanto, achei de mostrar a força do slogan. Passeando pela cidade, encontrei uma loja de moda feminina, cujo foco são as mulheres que oferecem maior área de contato. Fat Fashion.
O que achei uma graça foi o slogan. Como dito por aí, "Uma foto vale mais que mil palavras".