1 de abr de 2012

PUXÃO DE ORELHA: GENTILEZA É COISA FINA!

Não me contenho! O Faustão sabe ser grosso. Como sabe! Sei que - conforme ele mesmo diz - fazer ao vivo não é nada fácil. Mas ele tem estrada, pô! E repete grosserias com uma freqüência muito maior do que a desejável. Ora direis: então, por que assistir ao seu programa? Porque acho que tanto tem coisas boas como coisas medíocres, como coisas péssimas. Se posso aproveitar as coisas boas... E depois, não poderia estar aqui, metendo o pau, se não tivesse assistido.
Hoje foi dia de "Melhores do Ano". Então, Domingos Montagner foi escolhido como melhor ator revelação. Aos cinqüenta anos de idade, concorreu na categoria de "revelação". É revelação, sim, porque, segundo disse, começou na TV com quase cinqüenta anos, depois de percorrer teatro e circo durante mais de vinte anos. Muito bacana!
Por que, então, o puxão de orelha?
Pois não é que o Faustão, com aquela delicadeza que lhe é peculiar, disse - como se estivesse contando vantagem - que Domingos Montagner falava, sem se constranger (acho que falou, mesmo, foi "sem sentir vergonha") de seu tempo de circo, como palhaço, trapezista e mais tudo que o circense é capaz de fazer. Pensei, principalmente na Raïssa e na Fifi. Mas a Nanete também entra na dança. Raïssa é minha filha caçula, apaixonada por palhaços. Fifi, a mais velha, também apaixonada por palhaços e pela sua "mocreinha querida" - a Raïssa. E a Nanete, filha do meio - Tia Ana, para a Raïssa - apaixonada por todas as artes (as outras duas também acabam sendo), pela Raïssa e pelos sobrinhos, filhos da Fifi - Moreno, Tainah e Navarro. Pensei nelas, sim, no inconformismo delas com o fato de alguém poder pensar que é constrangedor (ou vergonhoso) admitir um passado circense. Maior orgulho, pô!
Data venia, como gostam os juristas, o puxão de orelha é mais do que necessário. O Faustão apronta destas, com freqüência. Penso que quer parecer elogiando, mas, no fundo, mostra um menosprezo por determinadas atividades. Pode não ser intencional. Se não for, deve vir do fundo da alma, uai.
Minhas três queridíssimas! Não se amofinem. O Faustão costuma ser uma anta. Ele que tanto aponta antas por aí. Chique, mesmo, é o palhaço! Beijos!

Foto Palhaço Biribinha: Cena de O reencontro de palhaços, atração de Uma tarde no campus.
UFMG. http://www.ufmg.br/online/arquivos/005889.shtml

Postar um comentário